Equinococose
Equinococose do cão / Biologia

O género Echinococcus inclui duas espécies de grande importância para a saúde pública:

E. Granulosus
  • É responsável pela hidatidose quística da espécie humana e dos animais de produção (cavalo, burro, porco, camelo, dromedário, vaca, ovelha, cabra, segundo os sistemas de exploração). A hidatidose afecta também o cão e outros carnívoros selvagens (hospedeiros definitivos).
E. multilocularis
  • Produz a hidatidose humana alveolar, afecta a raposa (hospedeiro principal) e também o cão, gato, lobo e coyote.
Os adultos de E. granulosus que vivem no duodeno do cão, medem de 2 a 11 mm de comprimento (fig. 24). Uma vez desenvolvidos, tornam-se hermafroditas e reproduzem-se através do desprendimento do último anel da ténia, carregado de ovos, que saem com as fezes para exterior e contaminam os alimentos, a água, etc. (período médio de 45 dias). Estes parasitas conseguem permanecer no meio ambiente durante longos períodos de tempo, graças à sua extraordinária resistência às mudanças ambientais.

Os ovos de E. granulosus são microscópicos, medem de 30 a 44 mm e não são possíveis de diferenciar dos ovos de outras ténias (fig. 25). Quando são ingeridos por um hospedeiro intermediário adequado (homem e ruminantes domésticos ou selvagens), os sucos gástricos facilitam a libertação das oncosferas (futuras ténias) que passam para a circulação geral através de pequenos vasos hemáticos ou linfáticos e chegam a vários órgãos: fígado e pulmões (a maioria), e algumas podem instalar-se nos rins, baço, tecido muscular e cérebro.


Figura 24: Adulto de E. Granulosus.

Figura 25: Ovo de ténia.

O tempo necessário para o desenvolvimento de um quisto hidático varia entre alguns meses e vários anos, e o tamanho vai aumentando 1 a 5 cm por ano. A capacidade de resistência é, também muito grande, podendo viver até 16 anos no cavalo e até cerca de 50 no homem.

Quando um quisto hidático é ingerido por um cão (alimentado com vísceras provenientes de ruminantes infectados) às 4-6 semanas de infecção, transformam-se em ténias adultas e voltam a liberar os ovos que vão contaminar o ambiente, fechando-se assim o ciclo de vida destes céstodos.

Ciclo biológico >>
Equinococose do cão

-   Descrição
  Biologia
-   Epidemiologia
-   Quadro clínico
-   Diagnóstico
-   Tratamento
-   Profilaxia


Hidatidose humana

-   Descrição
-   Epidemiologia
-   Quadro clínico
-   Diagnóstico
-   Tratamento