Teníase
Teníase / Descrição

De todas as espécies inclusas no género Ténia, só se consideram de interesse como zoonose três: Taenia multiceps, Taenia serialis e Taenia taeniformis (gato).

O hospedeiro definitivo das duas primeiras é o cão e outros canídeos, e apesar dos homens poderem ser um hospedeiro intermediário são poucos os casos descritos.

Os cães e/ou gatos adquirem a infecção por ingestão de carnes ou tecidos contaminados que contenham as fases larvares destes céstodos (cenuro e/ou estrobilocerco).

O homem e o resto dos hospedeiros intermediários, como os ruminantes, roedores, coelhos e lebres, são infectados quando ingerem os ovos eliminados com as fezes de carnívoros que contaminam os pastos, terra e meios aquáticos.

Nestes, os parasitas passam pela circulação hemática e linfática até atingir o sistema nervoso central, e é no cérebro onde se desenvolve a fase larvar após cerca de 8 meses (ex. cenurosis ovina). Na bibliografia estão registados casos clínicos de pessoas com cenuros (formas larvares) em diferentes localizações: cérebro, músculos cervicais, glândula mamária, com sintomatologia relacionada com o órgão afectado.

Em condições favoráveis, os ovos dos ténidos podem permanecer viáveis durante períodos muito prolongados. O período de permanência nos cães e gatos é similar ao de E. granulosus (45 dias). No intestino delgado os adultos podem atingir até 1 metro de comprimento total, mas os cachorros e/ou gatos infectados costumam ser assintomáticos (figura 31).


Figura 31: Adultos de Taenia spp.

Teníase

  Descrição
-   Diagnóstico
-   Tratamento


Cisticercose / Cenurose