Biossegurança

A biosegurança refere-se às medidas de higiene adoptadas no contexto de produção animal que protegem as explorações de contactar com novos agentes infecciosos responsáveis por doenças, ao mesmo tempo que minimizam a propagação de agentes patogénicos entre os animais da exploração.

Os insectos (mosca doméstica, mosca dos estábulos e outros) podem funcionar como vectores de agentes patogénicos como Salmonella spp., E. coli, Campylobacter spp., Vírus da Doença de Newcastle, coccidias, entre outros. Para além de possíveis transmissores de agentes patogénicos, os insectos podem provocar quebra na qualidade dos produtos produzidos (fezes de insectos nos ovos), bem como criar problemas de infestações no caso de vizinhança das explorações com zonas residenciais.

Os roedores comem e contaminam os alimentos animais, são importantes transmissores de doenças aos animais e ao Homem, sendo responsáveis pela danificação de instalações e equipamentos eléctricos.

Para além de um controlo de pragas (insectos e roedores), através da limpeza e desinfecção das instalações é possível diminuir as pressões de infecção de microorganismos, contribuindo para a prevenção da disseminação de doenças infecto-contagiosas.

Os programas Bayer de Biosegurança combinam medidas de controlo de pragas com medidas de desinfecção, garantindo o bem-estar animal, a saúde animal e a produtividade.


vet2